O reino lhe acolherá de braços abertos.

O segundo episódio de The Walking Dead, se inicia com uma grande sensação de ‘déjà vu’, e percebemos que a linha desse episódio seguirá quase idêntica a de outros já protagonizados por Carol e Morgan. Como já basicamente vivenciamos algo parecido, podemos resumir esse episódio em: A relutância de Carol e sua teimosia em achar que as pessoas não podem tentar viver em uma sociedade. Percebo que ao decorrer da série, as pessoas vão cada vez mais perdendo seu senso de ética e moral, já que não possuem mais leis. Por isso, os grupos restantes criam suas leis, e tentam impo-las perante aos outros grupos. Sempre me questionei qual o motivo de alguém, como no caso de Negan, criar um grupo que mata pessoas sem remorso… E penso que enquanto a sociedade era de fato uma sociedade, essas pessoas deveriam ser frustradas e reprimidas, guardando desejos obscuros que agora, em um mundo pós apocalíptico, elas não possuem nada que possam impedi-las de se ‘libertarem’. O reino surge como um paradigma para todas essas questões, principalmente a figura de Ezequiel, que ao final do episódio revelou para Carol, que ele é apenas um homem que as pessoas decidiram seguir, e que antes de tudo isso ocorrer, ele era apenas um guarda de um zoológico. Creio que as pessoas não pensam mais a longo prazo, não pensam mais em como reconstruir a democracia e a sociedade, e isso só tende levar a humanidade a extinção. 

ezequiel

Entendo que tudo agora se resume a sobrevivência, e Carol aprendeu isso da pior forma possível. Ela adotou uma postura em que finge ser uma mulher vulnerável. Entretanto, essa postura não é algo que possa dizer que é fingimento, pois ela era assim antes, e por mais terrível que seja o antes dela, já que ela era maltratada e indefesa, ela aprendeu a usar esse lado no mundo atual. Ela não criou subterfúgios para uma utopia, ela somente se adaptou. E por mais que eu discorde dessa teimosia dela, em querer seguir seu caminho sozinho, e em achar que agora tudo é vida ou morte, dou certa razão para ela.

carol

Ao final do episódio, vemos que Ezequiel não desistiu de Carol… Creio que ele poderá ser o único a faze-la entender que é possível reconstruir a civilização, mas para isso o esforço terá que ser conjunto. Claro que pouco sabemos de Ezequiel, talvez ele seja só mais um sedento por sangue, mas acho que todo esse dilema que a série criou, já está extrapolando, e por mim já está na hora de tudo isso ser revertido de alguma maneira. 

insta

Ricardo Souza
Ricardo Souza

Hello, it's me... Rick, a pessoa que vos escreve com capricho e zelo (talvez sim, talvez não, nunca saberão). Estudante, aspirante e perseverante (esse ultimo adjetivo foi só para rimar). Ama escrever, e por consequência é estudante de Letras/Libras. Aqui no Panelas faz de tudo um pouco, séries, realitys e premiações.
Deixe-nos um comentário!
  • Bruno

    Adorei a review. Curta mas que falou o que era necessário.
    Amo a Carol, mas esse lance de não querer ajuda, não confiar em ninguém, querer ser isolada é chato. Esse episódio ela tava insuportável. Espero que melhore e tenha um caso com Ezekiel.

  • Caio Lucas

    Já vi tanta gente nas redes sociais falando que já tão cansadas da Carol, mas eu só consigo continuar amando a personagem. Problemas psicológicos é algo que teria de sobra num apocalipse zumbi, como já teve na série, então eu entendo a Carol completamente e dou razão a ela. Tudo o que ela passou, tudo o que sofreu, tudo o que teve que fazer para chegar até aqui… Chega um momento em que seu psicológico não aguenta mais, chega um momento em que as estruturas se abalam. E sinto muito pra quem não está gostando, pois acho que será um processo lento até que as estruturas da Carol se firmem de novo – ou não né?
    Enfim, ótima review!

  • Julio Pereira

    Por mais que exista uma série de mudanças entre a série e a HQ, os diretores parecem não querer distanciar de inúmeros fatores essenciais para futuros arcos da história. Por isso a morte de Gleen era tão necessária para futura ascensão de Maggie. E pelo mesmo motivo que eu não compreendia, até este episódio, ele manteve Carol viva até o momento (que nas HQs já bateu as botas há décadas), ou só eu senti cheiro de romance com um possível casal EzeCarol no futuro? Afinal todo rei precisa de sua rainha, e a personagem que originalmente faria este papel já é do Rick no momento. Espero que nos próximos episódios, explorem mais o humor-negro-sarcástico-desbocado do Negan que o tornou o personagem favorito de 11 entre 10 leitores da HQ. E como não amar Shiva? Fazia falta um pet na série.

%d blogueiros gostam disto: