Meu coração parou com tanta emoção e suspense.

A tão temida e esperada rodada finalmente chegou. O X Factor AU veio com essa ‘nova’ proposta para colocar nossos nervos a flor da pele, onde reduziu a quantidade de cadeiras do Chair Challenge para somente três! No episódio de hoje, os Under 22’s (jovens) lutaram para conquistar uma cadeira, e essa categoria é possivelmente a mais forte da edição. Com a ajuda do meu amigo Lindomar, comentaremos sobre as performances que não foram combadas dessa edição tão incrível e assustadora do programa. Vamos lá 😀 

Isaiah Firebrace – If I Ain’t Got You

O vídeo de Isaiah já havia sido liberado no final do episódio anterior, e vimos que ele conseguiu uma cadeira cantando uma música bem batida e que faz bastante o seu estilo. Eu achei que ele foi bem, entretanto esse jovem não me passa um pingo de carisma e verdade, sinto ele como somente um cantor genérico e que atinge boas notas com sua voz. #Seat

Lindomar: Bem melhor que “Hello”, Isaiah conseguiu aproveitar melhor os nuances que a canção oferecia para mostrar seus vocais e mostrar conexão com a canção, por outro lado ele teve problemas de alcance, a música pedia mais na maioria do tempo e ele não podia ir até lá. Gostei mais do final do que do começo. 

Bailey Spalding – Heroes

Minha Bailey linda e maravilhosa estava totalmente nervosa nesse apresentação. Sua voz é muito clara e sem falhas, mas devido ao grande nervosismo, ela saiu um pouco tremida em alguns momentos. De toda forma, Bailey consegue ser bastante única na competição devido sua vertente teatral, da qual Adam se identifica bastante. Ela cantou um grande clássico do saudoso David Bowie, e fez um belo trabalho, mas que poderia ter sido ligeiramente melhor. Entretanto, mereceu uma cadeira. #Seat

Lindomar: Bailey tem um timbre tão único, tão singelo e tão bonito que suas performances acabam sendo tão únicas, ela é um sopro indie na competição, sua interpretação da música de David Bowie foi linda, mas ela me soou linear na maioria do tempo e nervosa, e isso prejudicou ela. 

Maddison Milewski – Who Wants To Live Forever

Maddison é praticamente uma veterana nas competições, e mesmo assim ela decidiu se arriscar cantando uma música do Queen em frente ao grande Adam Lambert. Sua voz é grandiosa e bela, entretanto ela poderia ter feito mais melismas para trazer uma dinâmica para a música… Ela usou muito sua voz de peito deixando tudo bastante linear. Mesmo assim, Mad fez um bom trabalho e merece prosseguir na competição. #Seat

Lindomar: Maddison tem um timbre tão poderoso para uma jovem garota, é escolheu uma música poderosa e grande, afinal a fase pedia por isso, ela se entregou, fez uma versão mais darkness, mostrou vocais potentes, só faltou um pouco de emoção como destacou a Iggy. Eu daria uma cadeira para ela apesar de tudo, ao menos temporariamente.

Vlado Saric – Wildest Dreams

É inegável que Vlado tem uma voz muito boa de se ouvir… Ele sabe fazer ótimos melismas e possui um style bem interessante, mas creio que se comparado aos outros vocalistas da competição, ele fica um degrau abaixo, e mesmo sendo aparentemente um bom performer, creio eu que somente isso não bastaria para ele ir longe na competição. A única coisa que eu não suporto é essa quantidade exagerada de gritos por ele… Sabemos que no AU tem muito disso, as menininhas piram quando veem um boyzinho padrãozinho bonitinho cantando. Mas enfim... #Seat #MaddisonOut

Lindomar: Vlado é no mínimo muito esperto e traz a plateia na maioria composta por jovens que o acham bonito para si, escolheu Shawn Mendes na audição e agora uma música da Taylor. Trouxe vocais aceitáveis na maioria do tempo, com exceção dos momentos que tentava arriscar demais, mostrou uma boa conexão com a música, mas algumas notas estridentes me irritaram, ele é um cantor limitado que sabe usar o público ao seu favor.

Ivy Adara – Remind Me

Ivy me surpreendeu bastante, apesar da boa audition, eu não pensava que ela seria capaz de fazer algo melhor ou que se igualaria aos destaques da primeira fase, mas queimei minha língua bonito já que Ivy simplesmente arrasou, mostrando ter um enorme potencial, além de demonstrar controle no palco, um ótimo carisma e excelentes vocais. A boa noticia é que Adam ouviu os nossos colegas jurados e deu uma cadeira para Ivy, e a noticia ‘desagradável’ foi ter que ouvir o povo gritando para Vlado “bring him back”… Tipo, sério isso? #Seat #VladoOut

Lindomar:  PQP, a cada notinha que sai da boca de Ivy tomamos um tiro na alma, ela tem a capacidade de conseguir comover a qualquer um, foi certeira na song choice, escolhendo algo que permitia a ela destacar seus vocais com muita conexão e entrega. Não foi tão sensacional como Alive, mas foi ótimo e com certeza merecedor de uma cadeira.

Amalia Foy – Piece by Piece

Jesus, essa menina é surreal! Amalia eu te amoooo. E é com essa declaração que eu oficialmente nomeio Amalia como a vencedora do meu coração. Cantando uma música extremamente emocionante e introspectiva, Amalia fez tudo o que era esperado por ela, mas o que surpreende toda vez que ela sobe no palco e abre a boca para cantar, é ver tamanha profundidade em sua voz, com somente 14 anos de idade. Ela possui um sentimentalismo que vai além de tudo o que eu já vi de alguém com 14 anos, e ela simplesmente consegue ser única em sua categoria. Concordo com Adam quando ele disse que Bailey e Amalia pertencem ao mesmo “nicho” e por isso ele decidiu coloca-la no lugar de Bailey, e é com grande aperto no coração que eu aceito essa troca. #Seat #BaileyOut

Lindomar: Quando Amalia soltou a primeira nota maravilhosa acho que os três que estavam sentados já podiam levantar e dar as três cadeiras para ela. Amalia fez a performance mais tocante da noite, contou uma história, comoveu a todos e foi fodástica. Estou perplexo com tão fofura e entrega minha gente. Bailey já sabia do perigo dessa performance e estava triste, já sabia o que vinha pela frente.

Natalie Ong – I’d Rather Go Blind

Bom, Natalie ainda não me cativou por completo, mas é inegável o talento e a baita voz que essa jovem possui. Acho que ela poderá ser promissora nos lives e era mais do que obvio que Adam iria seguir com ela, e se bobear ele investirá todo seu maior trabalho nela. Mas, algo que me incomodou muito foi ver Adam dizendo para Amalia que ela e Bailey pertencem ao mesmo grupo de cantores, enquanto ele eliminou Ivy, que claramente vai para uma vertente pop/urban, para manter Isaiah, que pertence ao mesmo estilo de Natalie que até agora demonstrou ser soul beeeem datado. #Seat #IvyOut

Lindomar: Que lacreeeeeee foi esse da Natalie, se Amalia levou todos as lágrimas, Natalie veio pra lacrar tudo levando todos a loucura, uma performance sem defeitos e com muita presença de palco, muito controle e alcance. Natalie caprichou do início ao fim e deixou claro que uma vaga no top 3 tinha que ser sua.

Além desses competidores, tivemos outros que foram combados como minha digníssima Janae que fez uma bela audição mas no 3cc não chegou perto do nível apresentado anteriormente, Mi-Kaisha que cantou Pretty Hurts em sua audição, entre outros. 

Eu já imaginava que o top 3 seria esse, Natalie e Amalia por realmente serem as melhores da categoria e um boy somente para não faltar um na categoria, mas Isaiah é tão, mas tão mais ou menos, que as chego a achar super injusto a eliminação de Ivy para mante-lo. Espero que Mel B traga Ivy ou pelo menos Maddison de volta e consiga fazer um bom trabalho com uma delas. 

Chegamos então ao final do primeiro episódio do 3 seat challenge. Espero que todos tenham gostado tanto quanto eu gostei, e nos vemos na próxima pessoal. Até mais.

Ricardo Souza
Ricardo Souza

Hello, it's me... Rick, a pessoa que vos escreve com capricho e zelo (talvez sim, talvez não, nunca saberão). Estudante, aspirante e perseverante (esse ultimo adjetivo foi só para rimar). Ama escrever, e por consequência é estudante de Letras/Libras. Aqui no Panelas faz de tudo um pouco, séries, realitys e premiações.
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: