Sharon ensina como ferrar uma categoria forte com 3 escolhas.

Hey galera, sejam bem-vindos a mais uma review do nosso querido The X Factor UK. Não sei vocês, mas eu confesso que estou bastante desempolgado e apreensivo com o rumo que o reality está tomando. As auditions não tivemos tantos favoritos e muitos desses poucos favoritos não chegaram nem ao top 12, uma pena porque tem tanta gente desnecessária nesse grupo dos lives, que chega a ser piada algumas eliminações precoces. Depois das péssimas escolhas de Louis, Sharon hoje veio com escolhas ainda piores e Nicole que acreditava ser a luz no fim do túnel, acabou me decepcionando em algumas de suas escolhas, mas reality que segue né? Vamos torcer para que os lives nos impressionem e que os candidatos escolhidos façam por merecer a vaga conquistada. Para ajudarem em suas decisões, Sharon contou com a ajuda de Robbie Williams e a Nicole levou o Calvin Harris para ajudá-la a escolher seu top 3. Sem mais blá, blá, blá, vamos conferir tudo o que rolou, para me ajudar nesse trabalho árduo e doloroso, hahaha, contarei com a presença do Rick.

OVERS – SHARON OSBOURNE

Relley C – “Up to The Mountain” by Kelly Clarkson

Michel: Eu gosto da Relley C, porém não torço, isso é culpa da produção que a deixou muito apagadinha no programa, principalmente por conta dela ser uma retornante e novamente está disputando uma vaga nessa etapa do reality, achei que ela apareceu muito pouco no programa e vocalmente falando, acho ela apenas boa. A sua performance foi muito boa, escolheu muito bem a música, já que tem apelo emocional e um arranjo que a proporcionou explorar bem seu alcance vocal, houveram alguns deslizes, mas nada que comprometesse sua apresentação. Em geral, foi uma performance muito boa, mas não tão boa a ponto de me convencer que ela merecia ir para os lives, porém ela conta com o fato de ser retornante e da Sharon simpatizar por ela.

Rick: Foi boa, fez um trabalho satisfatório e escolheu uma boa canção. Creio que poucos esperavam que Relley fosse bem assim, então dou parabéns para ela.

Christopher Peyton – “Movin on Up” by Primal Scream

Michel: Christopher é um excelente vocalista, mas não consigo enxergá-lo como artista, ele é o tipo de candidato que não me desperta interesse nenhum em ver nos lives. Sua performance foi ótima, como disse ele é um excelente vocalista, tem um timbre bonito e a música tem uma batida que se encaixou muito bem com seu timbre, mas achei sua performance com muita técnica vocal e pouca emoção, diferente da Relley que teve deslizes vocais e arrasou na emoção, o Christopher foi uma arraso vocal mas para mim foi zero emoção e eu particularmente valorizo bastante a emoção do candidato. Talvez tenha sido a música que era bastante agitada, mas pra ser sincero, todas suas demais performances me passou essa mesma impressão.

Rick: Eu acho esse cara exagerado demaissss. Ele força muito e não passa nenhuma emoção para mim, por mais que ele tente. Essa performance aqui para mim foi completamente vazia.

James Wilson – ” Make You Feel my Love” by Adele

Michel: James me ganha por ter esse timbre tão rouco e soar tão natural, me passa bastante emoção enquanto canta, porém eu ainda o acho bem despreparado vocalmente, acredito que seus vocais podem melhorar bastante se ele investir em sua voz. Além disso, acho o James ainda bastante inseguro para se apresentar nos lives,  nessa performance mesmo ficou muito claro o quanto ele estava nervoso. Acho ele um ótimo candidato, mas não para essa temporada, torço muito que ele volte mais preparado em temporadas futuras, mas acredito que essa temporada não seria ideal para ele ainda.

Rick: Essa música tinha tudo para ser ótima para James, mas o que foi executado aqui deixou muito a desejar. Foi linear, sem muito sentimento e poder. Fiquei bem decepcionado, porque estava esperando bem mais pela escolha da música.

Samantha Atkinson – “Tears” by Louisa Johnson

Michel: Primeiro que já me ganhou por exaltar a rainha e vencedora da temporada passada, Louisa Johnson, segundo escolheu uma música atual e que não é batida e terceiro por ter essa voz forte e potente. Até aqui, pra mim Samantha foi a melhor performance, vocalmente foi ótima e acho que ela tem uma presença muito forte quando canta, gosto muito dela e queria muito vê-la nos lives, até porque acho que até aqui a Samantha foi bastante consistente em sua trajetória e é pra uma das melhores de sua categoria.

Rick: Ai que linda, reconhecendo a rainha da temporada passada! Sam fez um belíssimo trabalho, atingiu todas as notas altas com grande facilidade e melhorou muito no quesito em deixar de ser apenas estridente. Merece muito continuar.

Saara Aalto – “The Winner Takes it All” by Abba

Michel: Sara depois do sufoco do 6CC, dessa vez apostou num hit clássico. Gosto muito da Sara e acho sua voz maravilhosa, porém o excesso de dramaticidade em suas performances, me incomodam bastante. Nessa performance eu amei a escolha da música, vocalmente foi muito boa, apesar da desafinada um pouco antes do refrão, mas que foi muito bem compensada quando avaliando sua performance no geral. A minha dica para Sara seria para ela improvisar menos em suas performance e ficar mais atenda em relação aos exageros tanto na sua interpretação, quanto nos seus improvisos vocais, até porque já diziam os mais sábios: “muitas vezes o menos é mais”.

Rick: Agora sim Saara voltou a ser aquela moça que canta muito bem das audições. Fez um grande trabalho aqui, com entrega, e com sua voz no ponto. Gostei bastante.

Janet Grogan – “Ordinary World” by Duran Duran

Michel: Janet é minha over favorita dessa temporada, mas confesso que achei que essa foi sua pior performance, porém achei a segunda melhor performance da categoria nessa fase. A produção pimpou bastante a Janet nessa temporada e com razão, acho ela uma ótima candidata e que me empolga bastante em sua apresentações. Eu dava a Janet como certa para os lives, mas como Sharon já se mostrou uma péssima jurada no 6CC, não era de se esperar que ela fosse vacilar aqui nessa etapa também.

Rick: Ótima escolha de música, Janet passa uma fragilidade em sua voz que combinou perfeitamente com a música. Achei essa performance boa o suficiente para faze-la continuar.

Honey G – “Gangsta’s Paradise” by Coolio

Michel: Eu não entendo o que a Honey faz aqui, nessa altura do campeonato. Primeiro, que eu não acho ela nem um pouco engraçada, nem carismática e segundo que vocalmente ela é horrivelmente terrível. Não sei o que está acontecendo com essa temporada, porque está parecendo até piada, não tem como defender isso? Saudades da temporada passada que os jokes eram Bupsi, Anton e Reggie ‘N’ Bollie, ao menos eles sabiam cantar e eram carismáticos.

Rick: Péssimo. Tchau. 

SOBRE OS OVERS

Depois das escolhas erradas que a Sharon fez, ela conseguiu fazer uma cagada ainda maior e olha que a categoria dela eu achava que não tinha como errar, mas ela conseguiu fazer o que na minha cabeça eu achava impossível. No fim, os overs que acabaram indo para os lives foram: Saara Aalto, Relley C e Honey G, sim minha gente vocês leram certo, HONEY G. Nas minhas piores hipóteses, nunca colocaria a Honey, mas além de levar a joke. Não desmereço a Relley C e Saara, que são boas candidatas, mas o que não entendo é que num grupo com Samantha e Janet, a Sharon levar elas três. Detestei as escolhas e a categoria que achava a segunda mais forte, aqui se afundou de vez, provavelmente Sharon não vai chegar tão longe com esse grupo nada popular e carismático.

BOYS – NICOLE SCHERZINGER

Ryan Lawrie – “You Make my Dreams Come True” by Hall & Oates

Michel: Voltando ao programa, depois de ser escolhido por Simon como wildcard dos boys, Ryan é aquele tipo de garoto que se encaixa muito bem em boybands, porém como solo eu acho ele bem fraquinho vocalmente. A música que ele escolheu eu gosto bastante, tem uma batidinha mais agitada, porém ela é bem linear, não é o tipo de canção para mostrar todo o potencial. Dizendo isso, ele fez bem o trabalho com a música que não o exigia muito vocalmente, mas com essa categoria tão forte, acho que ele já fica em desvantagem com os demais. É aquilo, não foi uma coisa que se diga “como ele foi bem, excepcional”, mas foi bom.

Rick: Amo meu boyzinho e irei defende-lo! Achei ele muito bom sim, sua voz estava gostosa de se ouvir e ele tem uma levada muito boa (e que remete muuuuito a boyband). Entretanto, prefiro vê-lo solo mesmo, está fazendo um bom trabalho.

Niall Sexton – “2 Become 1” by Spice Girls

Michel: Niall é dono de um timbre bem peculiar, que muita me lembra o James Morrison. Gostei da escolha ousada que ele fez, não conhecia a música, mas só em saber que era Spice Girls, sabia que fugia da sua zona de conforto e aprecio muito isso. Gostei muito da sua apresentação, foi intimista, simples e ele estava conectado e seguro com a canção. Seria ótimo vê-lo nos lives, já que não há ninguém o seu estilo e ele ser um refresco no meio de tantos gritos e palhaçadas.

Nick: Achei bom, mas faltou emoção da sua parte. Foi bem linear, ele não arriscou em momento algum o que acabou por se tornar um pouco entediante.

Freddy Parker – “Love me Like You Do” by Ellie Goulding

Michel: Sinceramente, por mim ele já tinha vazado no 6CC, porque acho bem injusto uns terem uma segunda chance e outros não. Sobre a performance de hoje, tenho que confessar que ele foi muito bem, as mudanças no arranjo que ele fez foram muito boas, imprimiu sua personalidade numa música tão batida e eu gostei muito, foi uma apresentação excelente. Foi uma das melhores performances do episódio, gostei muito do arranjo da música, os vocais dele estava ótimo e mostrou bastante entrega na sua apresentação, me surpreendeu.

Rick: Começou bem, foi crescente e bem executado, mas depois ele começou a se perder(?) na música, me fazendo desgostar da performance. A escolha da música também não contribuiu muito, havia músicas melhores que Freddy poderia fazer um trabalho melhor.

Nate Simpson – “Summertime” by Ella Fitzgerald

Michel: Poxa, apostar em clássicos nessa fase mais acústica não é legal, acho o mais ideal e menos perigosos apostar em baladinhas românticas ou músicas que o candidato mudem o arranjo para um estilo mais acústico. Nate tem uma voz soul maravilhosa, mas como já disse, acho que a escolha da música ababou o derrubando aqui, não funcionou nada bem a música com a ocasião, cenário e toda a proposta das Judges’ House, pra mim soou até bem brega e chata, apesar dos vocais maravilhosos dele, mas aqui é X Factor né? E voz é apenas um dos requisitos, faltou mais ousadia, sair da zona do conforto e fazer como a maioria que apostaram em músicas e arranjos mais introspectivos e emocionais, até porque a proposta dessa etapa é uma apresentação acústica.

Rick: Não consegui compreender quase nada do que ele estava cantando. Achei péssimo!

James Hughes – “Ain’t No Mountain High Enough” by Marvin Gaye

Michel: Depois do vexame que o Matt deu no 6CC, ao escolher um tom acima do seu limite vocal, James não aprende a lição e comete o mesmo erro. Como o Nate, ele também apostou num clássico batido, mas no caso dele ainda foi pior porque ele não deu conta do recado. Ele tem uma voz bem aguda, mas para que exagerar no tom da música e na hora H não dá conta do recado? James soou bastante desafinado, derrapou bem na melhor parte da música e semitonou quase que a música toda. Foi muito ruim, principalmente dele que fez uma audição tão boa, fiquei bastante decepcionado com ele, tudo por conta de uma escolha errada de tom, com um tom a menos a sua performance seria muito boa.

Rick: Desafinou, esqueceu a letra e é supervalorizado. Não gostei, espero que saia. Ps: A única coisa que salva é esse sorriso lindo e cativante.

Christian Burrows – “How to Save a Life” by The Fray

Michel: Amo essa música e achei uma música ótima para o Christian, já que ele tem todo esse apelo emocional. Achei essa apresentação bonita, introspectiva e tocante, digna de todo drama card que ele carrega no reality. Gostei muito da sua performance hoje e gosto desse timbre dele, bem diferente que transita entre o suave e o agressivo. A única crítica que faria, seria na falta de versatilidade dele, todas suas performances tem esse tom melancólico, que talvez enjoe com o tempo, então sair um pouco da zona de conforto dele seria um ótimo crescimento pra ele na competição.

Rick: Chris é único, tem algo em sua voz que me cativa muito. Confesso que esperava bem mais dele, e creio que ele não conseguiu (não conseguirá) fazer algo melhor do que fez em sua audição, o que é uma pena e um grande empecilho.

Matt Terry – “She’s Out of My Life” by Michael Jackson

Michel: O Matt eu acho um dos candidatos mais promissores e versáteis dessa temporada, ele tem um timbre bonito e um excelente alcance vocal, além dele se arriscar bastante em suas performances. Nessa apresentação, gostei que a música começou num ritmo mais lento e aos poucos foi crescendo, foi tudo muito bem executado nessa performance, o Matt fez uma excelente apresentação depois da sua decepcionante performance no 6CC. A Nicole seria burra se não o levasse, o Matt tem voz, talento e carisma, o cara tem tudo pra bombar nos lives.

Rick: Claramente o boy magya e o melhor da categoria. Fez uma performance correta e boa o suficiente para avançar com folga para os lives. Fez um bom trabalho, só podia tirar a camisa ai para nós.

SOBRE OS BOYS

Tinha muita fé que a Nicole seria sensata e faria excelente escolhas, mas até ela me decepcionou. As duas melhores performances, com certeza foram o do Matt e Freddy, seguidos de Christian e Niall, por gosto pessoal e levando em conta as outras performances, eu levaria com certeza o Matt, Cristian e Niall, porém não acharia injusto o Freddy no lugar do Cristian e Niall. Nicole me surpreendeu e no final das contas, acabou levado o Matt, Freddy e Ryan, tipo Ryan? WTF? Que porra é essa Nicole? Não entendo e nem vejo argumentos suficientes para a Nicole levar o Ryan, ele era o mais fraco vocalmente e pelas performances ele não foi nem de longe uma das melhores performances, sinceramente acho Ryan bem qualquer, uma pena porque ele está tomando a vaga de boys promissores como Cristian e Niall. Mas assim, diante das escolhas dos demais jurados, Nicole ao lado do Simon, foram os mais coerentes.

CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Depois de tantas etapas, dramas cards e escolhas duvidosas, enfim temos o top 12 cagado da décima terceira temporada do The X Factor UK. Dentre os 12 selecionados, só as girls, o Matt e o grupo 5 AM, são os candidatos que torço, já os demais não me empolgam nem um pouco. Sharon e Louis estão numa disputa acirradíssima para ver quem tem a pior categoria, já o Simon está em vantagem com 3 girls bastante promissoras, logo seguido pela categoria da Nicole. Dito tudo isso, só me resta acreditar num milagre que resultará em lives maravilhosos, mas por enquanto já me contento em ver Honey G vazando o quanto antes.

x-factor-2016-final-12-variant-6

Então é isso, pessoal. Termino aqui a review e espero que vocês tenham curtido. Até uma próxima e fiquem de olho nas próximas reviews dessa temporada flop do The X Factor UK.

Michel Araujo
Michel Araujo

Baiano perdido em Aracaju, fã de realities show musicais e séries. Uma personalidade misturada a humor, sarcasmo e uma leve ousadia.
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: