Posts Populares

The X Factor UK – S15E15/16 – Live Shows 1/Results

E não é que os Lives estão melhores!?

Olá minha gente, tudo bem com vocês. Hoje vamos começar mais uma review do The X Factor UK e hoje vamos falar do Live Shows 1 da temporada. Antes disso sabemos que o Judges House terminou na semana passada e como é de praxe vou comentar aqui como ficaram as categorias antes de falar das performances. Essa semana Tati e Ives comentam comigo, sem mais, então vamos a review.

O tema dessa semana foi This Is Me: Músicas que dizem mais sobre eles mesmos dentro da competição, pelo tema acreditei veemente que seria uma chuva de músicas datadas e intimistas, aconteceu isso? Aconteceu obviamente, mas não da proporção que eu imaginava. Geralmente o live 1 serve pra mostrar para gente que faz review e não vive no Reino Unido, saber em quem eles torcem e em quem eles consideram arrastados, até porque sabemos da fama de UK eliminar acts na primeira semana injustamente. Mas tema dado, vamos as performances.

[GROUPS] Misunderstood – “Chewing Gum”

Valber – Eu jamais vou entender a comparação deles com Reggie n Bollie, o que pode ter de semelhante mas bem de longe é o estilo de música que eles fazem, eu vejo eles numa vibe muito mais Rak Su. Sobre a performance deles eu acredito no seguinte: Se está cantando uma música autoral, você tem a obrigação de ir bem. E digo isso não somente por ser uma música autoral, mas eles não tem a mesma pressão de fazer bonito em um cover, modificar uma música já existente para ficar no estilo deles, eles apenas tem que vender a música ao público, o que fizeram muito bem. Eu amei demais a performance deles e ainda vejo um potencial finalista

Ives – Se em 2016 tivemos 5 am na final e em 2017 Rak-su vencendo, as chances desses meninos irem longe são enormes, pois eles tem estilos bem similares aos anteriores, mas são bem melhores, não é à toa que estão em primeiro lugar na casa de apostas. Foi uma ótima ideia usarem uma autoral em uma semana que o tema é this is me, só achei que a base estava muito alta, não dava para identificar quem estava cantando, mas a apresentação foi ainda sim muito divertida, o palco estava lindo com aquelas cores vivas e aquele formato de luzes, eles estavam bem animados e souberam interagir perfeitamente com as dançarinas e aquele trecho com funk foi a cereja do bolo, foi muito bom ainda mais sendo o primeiro live.

Tati – O povo fica dizendo que eles não são tão divertidos quanto os meninos do Reggie ‘n’ Boille e, de fato, não são, viu? Mas, vocalmente falando, eles me agradam muito mais eu tive a certeza nessa apresentação. A música é muito boa e eles deram um show na presença de palco.

[BOYS] Anthony Russell – “Issues”

Valber – Olha eu tava prontinho para julgar sem dó aqui, mas antes eu parei pra ver a música, a letra dela e nossa Anthony tá de parabéns. A letra condiz bem no momento em que ele está passando e foi completamente dentro do tema proposto, eu achei muito interessante também porque a letra diz “Yeah, I got issues And one of them is how bad I need you” traduzindo seria (Sim, eu tenho problemas E um deles é o quanto eu preciso de você), amei. Agora temos que falar da execução que não foi nada condizente com a escolha da música né gente, foi bem básico, não tinha muito o que esperar dele mesmo, mas acho que uma primeira semana está bom.

Ives – Acho um erro ele ter voltado, não por achar ele ruim, mas sim pela sua história, ele é um recente ex-viciado e eu acho perigoso demais ele já estar lidando com a pressão quer o x fator, espero de coração que ele não volte por esse caminho. Essa apresentação foi bem esquecível e inferior a sua audição do ano passado, o palco estava escuro e sem graça, ele andou de um lado para o outro e errou feio se adiantado na hora que era para ser o momento da apresentação. Pelo fato dele não falar mais da sua história, ser o segundo a cantar e ter um palco escuro e vazio me faz acreditar que não seja mais tão favorito pela produção, mas vou esperar o live 2 para confirmar

Tati – Gente, que coisa horrível foi essa? Parece que ele estava cantando dentro do banheiro. O microfone cheio de eco, horrível! Hahahahahah eu até curti a audição desse moço, mas nessa apresentação a voz dele me irritou de um jeito que eu não sei explicar. Fora as desafinadas sem fim. Detestei.

[OVERS] Danny Tetley – “Hero”

Valber – Eu JAMAIS vou perdoar Ayda por me fazer comentar sobre ele nos lives. É apelação tour que chama né. Parece que a produção chegou em Ayda e falou “olha temos que manter Danny por mais uma semana, dá essa música aqui pra ele” e aí veio Hero. Sinceramente, eu já tenho preguiça da música porque não trás a menor novidade por ser um clássico e se modificar pode dar muito ruim e também porque isso é música pra apelar gente, um Sing Off ou um Top 7 ou Top 5 é tolerável, mas aqui ficou claro que querem que ele passe a qualquer modo.

Ives – Eu jamais irei entender o motivo da produção forçar esse cara, porque ele não é vendido como joke e sim como alguém que tem chances reais de fazer sucesso, mas ele é o tipo de cantor que vai no Raul Gil e essa apresentação evidenciou isso, ele já começar errando a nota e parando toda a apresentação mostrou o quão pouco profissional ele é, parece um over lá dos primórdios do x fator, um terno menor que ele, cantando uma música de diva que não aguenta as notas e uma banda atrás fazendo parecer uma dessas bandas de casamento, se pegar essa apresentação e botar lá na primeira temporada, ninguém irá perceber a diferença.

Tati – Eu odeio o timbre desse moço. Não conseguiria ouvi-lo cantar por duas vezes seguidas, porém, eu achei que ele se segurou bem nessa apresentação, apesar de eu ter achado extremamente chata.

[GIRLS] Molly Scott – “Fake Love”

Valber – Pelo fato do tema ser esse eu estava buscando dois fatores: Se a música escolhida combinava com o estilo do candidato (Tipo o Danny) ou se a letra falava diretamente sobre o candidato (Como o Anthony), aqui em Molly ela mostrou mais estilo e identificação com o pop que está proposta a seguir o estilo aqui. Se antes eu achava que ela seria a girl eliminada no Top 10, por não se sobressair na categoria, agora já vejo ela barrando um pessoal bom mais pra frente o que não é muito difícil. A escolha foi a mesma do Judges House, selo Saara Aalto de qualidade pra ela, porque o selo Saara? Gente se vocês repararem Saara cantou muitas músicas nos lives que cantou em fases anteriores da competição em que ninguém dava a mínima pra ela.

Ives – MELHOR DA NOITE DISPARADO!!!! Molly, você é a definição do que é x fator. Tudo nessa apresentação funcionou, sua voz estava perfeita, ela estava ainda mais linda, o palco era incrível, a cor da sua roupa com a cor rosa do palco e aqueles relances amarelos deixaram um conceito sensacional, sua interação com os dançarinos estava perfeita e sua presença de palco melhorou ainda mais. Na judges houses já tinha se tornado minha favorita, hoje só confirmou, irei montar um Molly Brasil e quem quiser entrar só me chamar.

Tati – Muito espertinha a senhora, dona Molly! Repetindo a música da JH hahahahaha! Eu acabei gostando, pois, ao meu ver, ela conseguiu melhorar a versão ainda mais e a voz dela acabou me soando mais agradável ainda. Também acredito que o fator “palco” (que estava lindíssimo) tenha melhorado a apresentação, que, ao meu ver, foi bem mais completa.

[OVERS] Janice Robinson – “Clarity”

Valber – Eu fiquei surpreso com a escolha da música, porque Janice poderia simplesmente trazer algo mais disco e vir com uma performance mais produzida do que intimista. Talvez seja por isso que eu não tenha gostado muito, por mais que a letra diga algo muito bonito, eu achei que a música não dizia nada a ela.

Ives – Surpresa é o nome dessa performance, jamais pensei que esse fosse o estilo que ela fosse seguir, jurava que seria em uma linha mais emocional, mas foi bom já mostrar essa parte versátil dela. A Janice teve o melhor VT, mostrou que ela fez sucesso no passado, mostrou que ela era a participante mais velha da casa e tivemos a Ayda já lançando os plots de nunca desistiu e mãe solteira, já na performance nem tudo casou tão bem, apesar de o palco estar absurdamente lindo, a voz dela estar ruim prejudicou demais a performance e outra coisa foi a roupa, apesar de a parte de cima estar linda, aquele vestido não deixou ela se mexer muito e como era uma performance animada, ficou bem estranho ela só mexendo os braços.

Tati – Adoro essas músicas tão 2012 hahahahaha. Olha, eu gosto muito da “garra” que Janice demonstra toda vez que canta. Parece que ela está cantando em sua sua última oportunidade e eu admiro muito. Achei uma boa apresentação, mas nada marcante, porém, acho que foi suficiente pra essa noite.

[BOYS] Brendan Murray – “Break Free”

Valber – Desde quando eu vi que cantaria essa música eu sabia que era a versão acústica que é chata para um… Eu quero muito acreditar que Brendan esteja passando por um problema de relacionamento, porque se você colocar a letra em outra conotação você entende como um Comming Out. Enfim, eu não suporto mais a voz fina, forçada e a mesma interpretação toda semana. Basta! Chega! Muda UK!

Ives – Não achei ruim não, alguém me interna, por favor!!! Foi a melhor dele até agora, o que não quer dizer muita coisa, a voz dele não me incomodou tanto quanto nas outras etapas, o arranjo estava legal, foi uma apresentação sem graça, mas na média.

Tati – Meu Deus, que coisa mais chata foi essa? Não achei que foi vocalmente ruim, mas achei uma versão pobre e que ficou atrás de muitas outras apresentações dessa noite. Brendan tem um timbre peculiar e isso pode ser um ponto em favor dele, mas tem que ser mais inteligente quanto às escolhas musicais e essa versão, definitivamente, foi péssima de decisão, pois o deixou muito limitado.

[GIRLS] Bella Penfold – “Beneath Your Beautiful”

Valber – Team Bella Brasil vai gostar dessa review. Eu simplesmente AMEI, ela foi MARAVILHOSA demais. Pra mim foi a performance mais tocante ao meu ver. A escolha da música, o rap, a presença de palco dela, nossa foi uma verdadeira surpresa ela ir tão bem. A parte melódica que tanto criticava foi bem também, gostei muito.

Ives – Bella Brasil Forever, comunidade bombando no Orkut. Eu escolhi a certa para amar, pois evolução é nome, é impressionante o quanto ela melhorou desde os pre lives, não vi quase nenhum nervosismo, ela soube se portar no palco, não desafinou e inclusive achei muito inteligente já vir com uma música que necessita de vocais, pois era algo que os jurados iam cobrar depois, o rap foi maravilhoso e o palco com a fumaça estava lindo.

Tati – Ai, adoro tanto Bella! A cada apresentação, ela vem me conquistando mais e mais. O timbre dela é interessantíssimo e ele não se perde nem quando ela começa a cantar a parte do rap, o que acaba me dando certeza de que ela pode cantar qualquer coisa. Eu achei a apresentação simples, mas muito bem feita e foi uma das minhas preferidas da noite.

[BOYS] Armstrong Martins – “Story of My Life”

Valber – Eu simplesmente AMO candidatos imundos que precisam apelar para songchoices de jurados pra ter um destaque e se ferram. Armstrong desde semana passada já mostrava isso. Primeiro veio com música de Friends que foi uma bomba, uma total apelação desnecessária (a apresentação ia ser exibida mesmo) e agora com uma música do seu mentor. Eu não cheguei a ver o programa ao vivo, mas só tolero essa bomba se no VT Louis chega pra Armstrong e dá a música pra ele cantar. O rap não foi nada legal, de repente ele foi pro rock eu fiquei bem confuso.

Ives – Ele era meu boy favorito, mas depois dessa apresentação merece sair nessa semana junto com o Danny, tudo foi errado, ele parecia um motoqueiro, o palco com aquela bandinha estava sem graça, a música estava muito acima do tom dele deixando a passagem estranhíssima e nem o rap salvou, pois não combinou em nada com a música, parecia um dueto mal feito e ele andando em pé só pelo palco desafinando horrores foi o que precisava para selar a apresentação como horrível.

Tati – Em primeiro lugar, você nem deveria estar aí, querido! AInda não me esqueci da destruição que você fez com o hino de “Friends”. Agora vem apelar com One Direction, mas olha: não colocou muito pra mim, não! Eu gostei de algumas partes, mas achei as partes do rap um pouco bagunças e acabei não curtindo a apresentação por completo

[OVERS] Giovanni Spano – “Saturday Night’s Alright for Fighting” 

Valber – Foi estranho, bagunçado e assustador, mas o cara não passou vergonha não. Soube divertir e entreter o público. Me chocou aquela nota final dele, eu ainda não admito ele sendo arrastado desde o 6 Chair Challenge, mas sabemos quando um bom trabalho é feito.

Ives – Que bagunça, vai passar anos e não irei entender o motivo desse cara estar nos lives, ele não é ruim, mas é sem graça, não tem um diferencial, nem no ramo do rock ele terá futuro, pois é muito genérico e essa apresentação mostrou isso, nada dela foi inovador, o início foi até razoável, mas depois ele se animou e foi ladeira abaixo.

Tati – Esse moço me dá um pouquinho de medo hahahaha. Mas ele arrasou na interpretação da música e conseguiu me fazer ter vontade de bater cabeça. Além disso, o palco e a banda estavam um hinooooooo! Curti bastante!

[GROUPS] United Vibe – “Slow Hands”

Valber – Muito de vocês não vão se lembrar ou se quer assistiram, mas esse grupo apesar de ser bom me lembra muito aqueles grupos do programa Let It Shine em que formavam uma boyband. Se parar pra analisar a sinopse era a mesma, 5 garotos aleatórios que tem uma harmonia legal e os jurados olham e pensam “ok, vocês querem fazer um grupo?” (teria um diferencial se tivesse a Kelly e sua fita métrica). Os garotos precisam de sal pra me cativarem mais, não vejo eles naquela união, mas se quiserem realmente vão melhorar isso com o tempo.

Ives – Eles estão ainda bem crus, mas eu curti, achei tudo no limite do razoável e para um primeiro live foi legal, diferente de uma certa boyband que foi um desastre com viva la vida, não teve nada muito errado, as vozes estavam ok, o visual ok e harmonização ok. Não foram os piores nem os melhores.

Tati – Olha, não serei injusta pra falar que isso aí foi ruim, porque não foi. Eles até melhoram em relação a outra apresentação e isso já um ponto positivo. Mas ainda os acho uma banda totalmente crua com talentos individuais bastante questionáveis e, pra mim, isso ficou claro em algumas partes solos.

[GIRLS] Shan Ako – “Imagine”

Valber – Eu estou tendo que tirar o chapéu para todas as garotas da temporada. Que performance maravilhosa gente. Shan realmente trouxe algo único e que mostra realmente o que ela quer dentro da competição. Eu amei a produção do palco , ela cantando parada ali no palco e sendo o centro das atenções e passando a mensagem da música foi algo incrível de se ver.

Ives – Exatamente tudo nessa performance tinha o proposito de por a Shan como o ser humano mais bondoso do UK e foi inteligentíssimo, começou no vt com ela dando aquele discurso de mais amor e compaixão, depois tivemos a songchoice que é uma das músicas mais lindas já feita com aquela letra sobre humanidade e o inicio dela a acapella mostrou toda uma exposição e a entrada do piano bem de leve confirmou isso e fechou com chave de ouro o comentário do Roobie reafirmando o quanto ela é amorosa com todos e que a ama, o plot da bondosa está formado, vem pra final Shan.

Tati – Outra que se tornou minha favorita aí, Brasil! Ai, gente, que começo mais arrasador e emocional. Eu arrepiei real! E olha que isso é difícil, já que temos tantas versões maravilhosas dessa música. Shan arrasou demais. A nota final foi só a cereja do bolo! Que essa menina vá muito longe.

[OVERS] Olatunji Yearwood – “Jiggle It”

Valber – Desde o 6CC eu fiquei me perguntando o porque Ayda não trocou ele naquela fase, pra isso? Não sei se vocês lembram de uma over completamente who e que nasceu nos lives que foi Relley C, não sei se quiseram fazer o mesmo com Olatunji, mas não funcionou porque ele não teve o menor destaque, mesmo sendo bom já tivemos outros que fizeram o mesmo.

Ives – Eu sempre gosto de jokes acts, mas esse ano realmente não entendi o Olatunji ser o escolhido, ele teve pouquíssimo tempo de tela, quase nunca foi destaque e na verdade, nem a competição precisa dele, pois já temos a dupla na função de animação, pra mim ele foi o joke act mais who que já chegou aos lives e essa apresentação foi igual a tudo que ele já fez.

Tati – Que palco bagunçado, Jesus! hahahahahaha Olha foi por puro entretenimento, né? Eu achei o começo bem legal, mas depois foi ficando repetitivo e não consegui curtir tudo, mas Ola tem uma energia legal, o que é imprescindível para o estilo que ele representa.

[GIRLS] Scarlett Lee – “(You Make Me Feel A) Natural Woman”

Valber – Eu SABIA, desde a minha ultima review eu falei que Scarlett teria um plot de cantar de cara limpa e de branco, só esperava que a música fosse Hallelujah ou qualquer outra variante. Mas ela mandou muito bem, só achei que foi gritada demais, não precisava vir com esses vocais todos pra essa música não.

Ives – Como ela está linda, obrigado x factor por acabar com meu nervosismo cada vez que ela aparecia. Está bem claro que ela é a it girl do Simon, foi a última delas cantar, teve o melhor palco, estava com uma roupa linda e clara e a songchoice apesar de muito datada, é ótima para arrecadar votos. Se vir mais atual nas próximas fases não me incomodará toda a pimpação, pois ela é boa.

Tati – Por que eu sabia que Scarlett cantaria essa música ou qualquer outra mega cantada por divas em realities? Ah, deve ser porque isso é ÓBVIO, né? hahahhaah Enfim, apesar de não ter achado que ela fez nada de marcante, foi uma boa apresentação e ela foi muito bem na parte final.

[GROUPS] LMA Choir – “Circle of Life”

Valber – Eles podem até ser uma chacota, mas vou ter que falar de novo dessa professora imunda que é um ar de que meu XFactor está vivo kkkk, obrigado professora por trazer uma imundice decente nessa temporada. Não estou nada surpreso e também não estou decepcionado. Entregaram algo que eu já esperava.

Ives – Eu tinha uma imunda esse tempo todo e não percebi até agora, essa professora é maravilhosa, usou quinze vozes para darem destaque a ela, professora, nós fãs da imundice te amamos. Eu gostei bastante dessa performance, apesar de eles serem puro Got Talent, a songchoice foi muito boa, mas já deixou aqui avisado que não vão durar muito, há 16 vozes e nós só conhecemos 4.

Tati – Chegou o mico da temporada o que representa um clareza o fundo poço ao qual chegamos nessa season. Já falei que sou totalmente contra esse coral e nem consigo assistir a uma apresentação completa desse povo sem revirar os olhos. Foi melhor do que outras apresentações, mas mesmo assim foi muito chato. Next.

[GROUPS] Acacia & Aaliyah – “Finesse”

Valber – Eu nunca pensei que fosse dizer isso pra elas, mas que bomba. Achei a ideia ótima, mas a execução uma verdadeira bomba. Eu não entendi porque a música era do estilo delas, a produção as colocaram de rosa, podiam usar até o figurino colorido como o do clipe mesmo que tava de boa, não achei os melhores vocais também.

Ives – Songchoice perfeita para elas, pena que na reprodução não ficou tão legal, era tudo muito rosa e os vocais não ficaram tão legais, mas elas ainda são o act mais comercial e suas confianças no palco são maravilhosas.

Tati – Olha, não sei se é porque eu amo AMO essa música, mas achei essa apresentação muito boa e olha que sou crítica com essa dupla. Acho bem caricata e tudo mais. Mas amei demais, gente. Elas interpretaram direitinho a música e entregaram uma performance super divertida!

[BOYS] Dalton Harris – “Life on Mars”

Valber – Eu tô surpreso porque Grace cantou essa música e ela foi maravilhosa, mas não cheguei a imaginar e nem a ouvir a versão original que é uma versão masculina. No geral foi o pimp mais surpreendente e a uma das melhores performances da noite.

Ives – Não esperava que ele fosse pimp, pelo visto a produção resolveu apoiar ele e foram sensatos, pois ele é o melhor boy no quesito vocal. Life on mars é uma das minhas músicas favoritas e o x factor tem um histórico muito bom com essa apresentação, Seann, Grace e o maravilhoso do Jimmy, o Dalton ficou bem abaixo deles, mas não foi ruim, foi apenas simples, não teve um palco elaborado, era apenas ele e um microfone e ele deu conta no quesito vocal, mas eu senti falta de mais falsetos.

Tati – Melhor performance da noite e uma das melhores do programa (o que não é difícil, né? hahahaha). Gente, amei muito! Essa música é maravilhosa e ele conseguiu interpretar essa canção de uma maneira bem simples, mas bonita. Na parte do falsete, cheguei a me arrepiar toda. Muito linda a apresentação.

.

E assim terminou o primeiro Live Shows da temporada. Entre bombas e grandes acertos, eu até que gostei da primeira semana. Girls foram o grande destaque da rodada, variando entre seus estilos eu amei quase todas, menos Scarlett porque né. No dia seguinte temos o episódio de resultados em que alguns convidados se apresentam e temos a revelação Sing Off (dois candidatos cantam para convencer os jurados pela permanência) e um é eliminado direto. Sendo assim, tendo o top 14 da temporada.

********************************

RESULTADOS

No dia de Results tivemos a apresentação dos vencedores da ultima temporada e que vão em turnê com Olly Murs, Rak Su cantando música nova.

Em seguida veio todo aquele drama de salvar um por um como todo mundo sabe até ficar Olatunji, Janice e Armstrong. E foi anunciado que o ultimo colocado e eliminado direto foi Olatunji.

Sendo assim. Janice e Armstrong ficaram no Sing Off, não foi eu que quis Ayda Field.

Armstrong Martins – “True Colors

Chocado que não apelou para a música de ninguém só que já era tarde né. A música é maravilhosa pra uma voz doce e tranquila e se ele fizesse isso seria um hino. Mas não ele oscilou em momentos de voz tranquila e outras agitada. Eu não curti, mas ok ele fez seu melhor.

Janice Robinson – “The Climb”

Eu AMO Janice, mas que escolha aleatória e apelativa é essa. Eu sinceramente dormi com essa performance dela, achei muito chata e a sorte dela é que foi contra o Armstrong.

.

E por 3 x 1 Armstong da Adeus a competição o que achei justíssimo.

********************************

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Pra uma primeira semana os lives foram até que bons, podemos ver mais de alguns candidatos e outros que ainda não se entenderam artisticamente. Sobre os eliminados eu gostei, dois arrastados, dois que não deviam nem estar nos lives. E o que falar sobre a possibilidade de Ayda ter apenas Danny de act de sua categoria, hein? Não vou mentir, amei. Isso só comprova que o público do UK também não concordou com as decisões de Ayda, apesar de querer tirar Janice que era a melhor de sua categoria seria uma verdadeira injustiça. E chegamos ao top 16, ainda tenho esperança de ver Danny e Brendan eliminados na próxima semana, se forçar mais um pouco quero Gio (tinha até esquecido dele) eliminado também. Até a proxima review gente.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Autor

Valber

19 anos, atrapalhado, distraído e começando agora (Não tem paciência, a saída e logo alí). Aqui comentarei todo tipo de reality musical em especial The X Factor, The Voice e Superstar. E como diz uma grande pensadora atual "Quem não gostar do que eu falo, me dá um tiro na cara!"

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries