Posts Populares

This Is Us – S03E03 – Katie Girls

Será que temos uma separação a caminho?


Esta semana pudemos ver um pouco mais sobre o início do relacionamento de Jack e Rebecca. A impressão que tínhamos nas temporadas passadas era que eles se apaixonaram à primeira vista e que tudo foi muito fácil, mas nada é tão fácil nessa vida. Impressionante como a Rebecca poderia ter tido uma vida completamente diferente se não tivesse seguido seu instinto em relação a Jack, e tivesse ficado com seu ex e ido para Nova York em vez de para Los Angeles, como ela sempre quis.

Não deve ter sido uma escolha fácil para Rebecca deixar o Alan (o ex), considerando que ele aparentemente era um cara muito legal, que a conhecia desde que ela era bem jovem e que entendia que ela não seguiria o caminho que muitas mulheres eram obrigadas a seguir naquela época: basicamente, se prepararem para serem boas esposas e mães. Porém, de uma forma ou de outra, parece que mesmo que Alan entenda Rebecca e a apoie, ele ainda considera a vida que ele construiu e sua carreira mais importantes que a dela. Não é difícil de entender isso, considerando que ele já era um profissional de sucesso e ela ainda estava tentando iniciar sua carreira como cantora, e que ter sucesso na área artística não é para todos. Com certeza ambos ficaram melhor sem o outro.

E também pudemos ver um pouco mais o quanto a guerra afetou Jack, lá no início do seu relacionamento com Rebecca, em paralelo com Kevin iniciando, nos dias atuais, uma investigação sobre a vida de seu pai em parceria com Zoe. Ainda é bastante chocante perceber que mesmo tendo passado por tudo que Jack passou, na guerra e com seu pai abusivo em casa, ele ainda se tornou uma pessoa excelente. Conseguiu, inclusive, forças para tirar sua mãe do martírio diário que era viver com aquele homem nojento. A cena mais linda foi Jack arrumando a mesa e lavando a louça, sem deixar a tarefa para as mulheres da casa, o que é algo normal mas que mesmo assim muitos homens ainda hoje não tem a vergonha na cara de fazer. Jack é um anjo que merece ser protegido.

Sobre Randall confrontando a Kate sobre a fertilização in vitro, é bastante difícil escolher um lado. Em defesa do Randall: realmente foi escroto o que a Kate disse, que somente ela poderia passar o pai deles adiante, porque ela presumiu sem base alguma que o Kevin não teria filhos, e nem sequer considerou o Randall, que exala os ensinamentos do Jack todos os dias da sua vida, e com certeza já passou muito disso para as suas filhas. E também não é difícil entender por que ele acha que as pessoas deveriam considerar mais a adoção, considerando que ele mesmo teve muita sorte de ser adotado tão cedo por uma família tão maravilhosa. Crianças como a Deja passam por diversos lares horríveis antes de serem adotadas, e algumas não são adotadas nunca. Já em defesa da Kate: não é da conta de ninguém o desejo que ela tem de ser mãe, gerando um filho no seu próprio útero. A mãe dela fez isso, a maioria das mulheres que quer ter filhos faz isso, e a vida toda tudo que ela quis foi ser uma pessoa normal e não ser definida pelo seu peso.

E parece que o futuro do melhor casal deste planeta, Beth e Randall, está ameaçado. Pelo menos, essa é a impressão que ficou. No flashback que Beth teve de sua conversa com William, ele menciona que ela precisa tomar uma atitude e parar de ficar girando o seu anel de casamento no dedo como se tentasse se lembrar o motivo que a fez se casar em primeiro lugar. Ela continuou rodando o anel até o final do episódio, quando conta a Randall que foi demitida. Aliás: tristíssimo a Beth ter sido demitida. Randall escolheu se demitir; ser demitido é uma sensação completamente diferente. E dava para sentir a tensão na Beth apenas olhando o Randall dizer que vai se envolver em uma nova aventura em busca de salvar o mundo enquanto o mundo DELA desmorona. Espero que no próximo episódio ele dê o suporte que ela precisa nesse momento, em vez de focar em si mesmo e na sua futura campanha a vereador.

E a série continua surpreendendo ao tratar de assuntos delicados socialmente de maneira muito natural. Dessa vez, trataram um pouco de masculinidades e masculinidade tóxica de maneira indireta, por meio da conversa entre Randall e Toby. Ambos possuem problemas psicológicos (respectivamente, ansiedade e depressão) que evitam ao máximo mostrar ao mundo, por isso ser considerado um sinal de fragilidade que assombra a maioria dos homens. Triste demais ver Randall, uma pessoa tão evoluída, dizer que ainda o incomoda o fato de Beth tê-lo visto chorando no chão do banheiro no meio de uma crise. Crises acontecem com todo mundo, e é complicado que homens não se sintam livres para desmoronar de vez em quando nem com as pessoas que eles mais amam na vida.

Como nós ficamos neste episódio.

O que acharam do episódio? Esta temporada está parecendo bem mais fraca que a primeira e a segunda, mas ainda é um pouco cedo para avaliar. Até o 3×04 (e rezem por Reth/Bandall comigo!) 😉

gostou da matéria? deixe um comentário!

Isabella Oliveira

Poderia estar matando ou roubando, mas provavelmente levaria pouquíssimo jeito para a coisa, daí eu faço Direito. @brockhxmptxn no Twitter.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries