Posts Populares

This Is Us – S04E17/18 – After the Fire/Strangers: Part Two [SEASON FINALE]

E a quebra finalmente aconteceu…

Eu sempre acho que cada temporada de This Is Us tem um foco maior em um personagem específico, a primeira foi o Jack, a segunda o Randall, a terceira a Katie, a quarta e atual foi o Kevin e tudo indica que a próxima será a da Rebbeca. Apesar do Kevin ter tido um tempo maior de tela nessa temporada, nós vamos falar dele mais à frente, pois como já é de costume, os episódios finais pertenceram ao Randall.

O Randall sempre foi meu personagem favorito, talvez pela história dele ter sido a mais interessante inicialmente, ou pela minha identificação com sua doença ou seja pelo talento do ator Sterling K. Brown, que consegue transitar do drama para comédia com uma facilidade louvável. O personagem é o mais complexo e mais problemático atualmente, suas decisões definiram o tom dessa finale.

Existe o sentimento ansiedade e a doença ansiedade, o sentimento todos nós temos, já a doença é um pouco mais restrita e talvez por vivemos em uma geração mais aberta a diálogos, muitas pessoas dizem possuir quando na verdade nunca se quer foram diagnosticadas e isso banaliza MUITO a doença. Sofrer transtorno de ansiedade é muito mais do que ficar ansioso, se você não for medicado, constantemente você dúvida de si mesmo e de tudo ao seu redor, é como se fosse viver dentro de uma bolha e ela vai se fechando e fechando até chegar o momento em que você só consegue pensar e sofrer por determinada decisão, ocasionando em uma crise. É muito raro ver séries e filmes abordando de uma maneira responsável a seriedade dessa doença e por isso eu fiquei muito feliz de ver o Randall finalmente aceitando ajuda de um profissional, mesmo que isso tenha o levado a uma decisão perigosa.

O episódio “After the Fire” tratou bem como a mente de uma pessoa com transtorno de ansiedade trabalha, nós nunca aceitamos que o passado fica no passado e precisamos aceitar, o tempo inteiro fica aquela dúvida “E se eu tivesse feito aquilo?” e é assim que a mente do Randall funciona, tal mudança nunca traria nada além de coisas positivas. Randall é um homem negro criado em uma família branca, desde que ele nasceu, ele vive em uma eterna competição com si mesmo para se provar que a sua adoção não foi em vão. Apesar de aparentar ser o mais forte dos irmãos, ele é único que ainda vive sobre a sombra do pai e a busca eterna de uma aprovação que ele não precisa. Ter usado a culpa da sua mãe ao seu favor foi muito errado, mas ele não se importa, porque ele só não quer passar por mais um luto pensando que poderia ter feito mais. É egoísta? Sem dúvidas, mas quem não é? Todos nós temos defeitos e essa é uma das maiores qualidades dessa série, não há personagem perfeitos, nem mesmo o Jack, que é visto pelo próprio Randall como um Deus ou o próprio Kevin que já teve milhares de atitudes egoístas. É normal pensarmos em nós mesmos de vez em quando, mas assim como nós, Randall irá pagar pelas consequências da sua.

Kevin sempre foi dos protagonistas o que eu menos gostei, sempre achei ele um menino mimado e privilegiado e a própria série disse isso na sua conversa com a Sophie sobre ter filhos lá na terceira temporada, mas nessa temporada nós pudemos conhecer um outro lado desse personagem. A luta do com sobriedade e a busca pela idealização do amor que seus pais tiveram foram o foco de sua história, mas foi a linda relação que ele criou com seu tio, ele ter dado representatividade para milhares de pessoas que se sentem tão confusas como ele e ser responsável pela decisão que o público considera mais correta em relação a sua mãe, o Kevin conquistou o coração de muitos fãs nessa temporada e eu fui um deles e chega ser engraçado e até mesmo um pouco clichê, ele ter tido um caminho completamente diferente dos seus pais, tendo agora dois filhos gerados em um sexo casual. O mistério sobre quem é sua noiva continua e apesar de curta, o retorno de Cassidy nessa season finale pode indicar que a história de ambos ainda não acabou.

A relação entre os irmãos homens dos Pearson’s sempre ficou em uma linha tênue entre o amor e a mágoa, eu não digo ódio, porque não acho que esse seja o caso, eles apenas são pessoas completamente diferentes que foram criados juntas e apesar de não afirmarem, ambos sentem inveja, mesmo que um pouco, do outro. Do mesmo jeito que o Randall cresceu com personificação de todos os privilégios que ele nunca teve, Kevin vê no irmão tudo aquilo que ele sonhou, uma família para chamar de sua. A briga entre os dois já havia sido avisada pela série e no início eu não concordei com o “spoiler”, mas vendo tudo que levou ao rompimento entre os irmãos, eu entendi que eles estavam criando uma tensão e preparar o terreno para crueldade que foram ditas e “tensão” é a palavra certa para a festa dessa finale, era nítido que algo iria dar errado e fomos acompanhando o Kevin juntando as peças, até finalmente confrontar seu irmão. Eu já imagina que iria ocorrer a briga entre os dois nessa finale, mas eu não imaginava que seria tão séria do jeito que foi, pela primeira vez, era apenas os dois, sem ninguém para remediar, dizendo coisas que estavam entaladas por 39 anos, toda sequência foi tão bem atuada e dirigida que eu fiquei incomodado com as palavras usadas durante uns dois dias, foi uma briga real, não havia controle, era apenas um tentando magoar o outro e conseguiram, eu não vejo os dois voltando a se falar tão cedo e nem se quer tentando, pois o que eles disseram ali era o que eles pensavam, podem negar o quanto quiser, mas as coisas que foram ditas era algo que eles pensavam há muito tempo e ambos estarem em lados completamente opostos em como lidar com a doença da mãe não irá ajudar.

A season finale, como o próprio nome diz, foi uma continuação direta da premiere, pudemos acompanhar o nascimento da filha do Jack neto, a Hope. Toda a história, apesar de curta, foi linda e eu não vejo a hora de ver mais desses personagens no futuro. A série também apresentou a Hayley e utilizando a forma de sempre, ela nos foi apresentada de uma forma que parecia ser a noiva do Kevin e na verdade ela era a futura filha adotada da Kate e do Tob. A série sempre teve a adoção como um tema forte e pelo site que a Kate estava olhando, a adoção dessa vez será de uma criança refugiada.

Ao ver que a série havia sido renovada até a sexta, eu fiquei com muito medo, pois não via história suficiente para segurar a boa qualidade, mas essa temporada serviu como botão de reiniciar e eu me sinto assistindo a primeira temporada de novo, sem saber para onde a história irá levar, mas animado.

Observações:
– Quem é sua aposta para a noiva do Kevin? Acho que será a própria Maddison, mas fica aqui minha indignação de terem posto a Sophie Bush para fazer uma personagem que foi quase uma figurante.
– Kate e Miguel foram os únicos com relevância que ainda não apareceram no futuro, o que será que aconteceu?
– Não vamos esquecer que Toby aparece no futuro sem aliança.
– Mas a maior dúvida é POR QUE DIABOS A KATE NÃO ESTAVA NO NASCIMENTO DA NETA? Medo do futuro que a série guardou para essa personagem.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Autor

Ives

Um carioca estudante de direito querendo se formar, viciado em x factor´s do mundo e que ama uma praia

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries