15 de junho de 2016
UnREAL – S02E02 – Insurgent

“I Can’t Breathe” – Estampa da minha atual camisa dos sonhos.

Há 1 semana, uma das melhores séries de TV da atualidade fez seu retorno triunfante com sua 2ª temporada. E eu, estudante de Rádio/TV/Internet não poderia estar mais feliz! UnREAL mostra com grande realidade o que é ser produtor de TV, de realities em especial. Claro, por ser tratar de uma ficção – mas na verdade, a série é basicamente uma metalinguagem, ou seja, um programa de TV que fala dos bastidores de um programa de TV  –  eles precisam criar plots chocantes, o que os leva a extrapolar certos aspectos da produção para TV, mas nada que tire muito do brilho e esplendor desse seriado maravilhoso! Pelo contrário, deixa tudo ainda melhor e mais emocionante!

Agora, sem mais delongas e blá blá blá, vamos ao que interessa: a review do episódio!

z1

A 14ª temporada do sucesso “Everlasting” anunciou pela primeira vez um “noivo” negro, o que já veio a ser a primeira grande estratégia de Quinn e Rachel, elas pretendiam inovar! Como sabemos, a escolha das candidatas é sempre minuciosamente estratégica, alguns títulos precisam sempre existir, em ordem de criar dramas, manter o espectador entretido e claro, criar um enredo com fluxo para a temporada. Quinn já nos deixou claro diversas vezes que alguns desses títulos que não podem faltar em toda temporada são: “a esposinha”, “a negra barraqueira”, “a vilã” e “a gostosa”. No caso desta temporada, logo de cara podemos perceber quem vai ocupar cada posto: Tiffany, Ruby, Beth Ann e Yael (Hot Rachel), respectivamente. E desta vez, Quinn decidiu criar mais um padrão principal: “a blifey (black wife)”, ou seja, “a esposinha negra”, rótulo dado à Chantal. Então, obviamente, essas são as garotas principais que darão “vida” ao “Everlasting”, pelo menos até aqui.

z2

Então, enquanto Quinn tentava montar a season première perfeita do “Everlasting”, Chet tentava tomar seu reino de volta. Claro, ele não iria ficar apenas assistindo à Quinn e Rachel reinarem soberanas, ele tinha que ser o cafajeste de sempre e meter o bedelho onde não é chamado. Assim, uma guerra teve início… Team Quinn vs Team Chet. Eles decidiram que cada um iria gravar, editar e montar sua season première para entregar ao supervisor da emissora e ele decidiria qual versão era a melhor e quem continuaria a ser o produtor geral do programa. Eu, claramente, vesti a camisa Team Quinn; e Jeremy, claramente, vestiu a camisa Team Chet, nojinho.

Rachel não estava confortável com a situação, afinal, Quinn teve que tomar o posto de produtora geral de volta, o que acabou rebaixando Rachel a uma simples produtora, mais uma vez. Mesmo assim, ela tentava dar seus pulos e criar situações “medalha de ouro” para TV. Primeiro, ela convenceu Beth Ann a usar seu biquíni com a bandeira confederada americana, o que obviamente iria mexer com Ruby, exímia defensora dos direitos dos negros. Pra quem não sabe, a bandeira confederada americana é bastante controversa; para alguns (eu incluída neste grupo) ela é a representação do ódio racial , para outros ela representa a batalha dos soldados na guerra civil – bullshit.

Embora a tentativa de Rachel de criar uma confusão entre Beth Ann e Ruby tenha parecido funcionar a princípio, esse plot foi pelo ralo, pois Jay instruiu Ruby a não cair na conversa da Rachel. Logo, Ruby se manteve estável e calma, enquanto Beth Ann exibia sua bandeira racista em TV nacional. E só depois, em protesto, Ruby passou o resto da noite vestindo uma camisa escrito “I can’t breathe” (“não consigo respirar”), um shade cheio de classe, contrariando o barraco fulminante que a Rachel tinha arquitetado.

z3

Chet tentou jogar sujo e acabar com as chances de Tiffany em ser “a esposinha” da temporada para a Quinn. Notando que a menina estava irritada, já que pensava que seu pai (dono de um time de futebol americano) estava por trás de sua participação no programa, Chet instruiu-a a causar sua eliminação fazendo algo que nenhum noivo perdoaria: chupar o melhor amigo dele, duh!

Até teria funcionado, mas Rachel aparentemente convenceu o melhor amigo de Darius (o noivo) a não contar nada sobre o acontecido. E após tentativas falhas e um total clima de guerra no set de gravação,  que Rachel não aguentava mais, Jay deu um choque de realidade na garota dizendo que Quinn jamais a entregaria o programa de volta, a não ser que ela tomasse uma atitude drástica.

z4

E foi isso mesmo que Rachel decidiu fazer! Ela foi até a casa do diretor da emissora e deu uma de X9 mexxxxxxmo! Chegou lá e contou sobre a guerra civil entre Quinn e Chet que estava acontecendo no set e a proposta tosca dos dois de criar duas premières e deixar a escolha nas mãos dele! E então, jogou o seu às dizendo que nem Chet, nem Quinn deveriam ficar à frente do programa… Esse posto deveria cair no colo da complicada e perfeitinha Rachel!

Maaaaaas, a vida não é perfeita e pelo visto os pulos da pantera de Rachel andam bem por baixo, viu. Gary realmente colocou outra pessoa à frente do “Everlasting”, mas passou longe de ser a Rachel. Ao invés, ele trouxe um produtor fodinha aí, cheio de sucessinhos e afastou Chet e Quinn. E pior! O homem ainda decidiu seguir com a versão vulgaríssima da première produzida por Chet, ao invés do conto de fadas da vida real produzida por Quinn! Rachel (e todos nós), é claro, ficou fumaçando!

z5

E nós ficamos aqui ansiosos pelos próximos episódios! O que será do “Everlasting” sem Quinn? O que será da nossa amada Rachel tendo que lidar com o novo produtor geral? O que será de mim sem Adam até agora? Haha. Bom, tudo isso são cenas dos próximos capítulos, só nos resta esperar.

Luana Medeiros
Luana Medeiros

Recifense que se importa absolutamente nada com o que pensam a seu respeito, amante e defensora dos animais, completamente apaixonada por Maroon 5 e cheirinho de livro novo. Especialista em festas de um só e cantoria no chuveiro.
Deixe-nos um comentário!
%d blogueiros gostam disto: