Posts Populares

Young Sheldon – S01E16 – Killer Asteroids, Oklahoma, and a Frizzy Hair Machine

Um dia do Sheldon sendo ator.

Young Sheldon veio no momento certo, no momento em que o Sheldon está mais evoluído em TBBT e não ficou aquela coisa de termos dois “robôs” no sentido de certinho ao mesmo tempo no ar e é lindo ver a forma como que o Sheldon sempre lidou com várias situações, que inclusive fizeram formar o ser que ele é hoje, nos mostrando com clareza todos os dilemas nas devidas proporções (que tudo no Sheldon é diferente) de um jovem, independente em que ano está.

Para os nerds de plantão a feira de ciências na escola é o melhor acontecimento na vida, pois é uma das poucas competições que podem vencer e claro que na vida do Sheldon não seria diferente, mas dessa vez ele perdeu de forma bisonha, que fez com que ele se revoltasse, tanto em casa “xingando” (as aspas porque aquilo nem é xingamento” e também na escola ao se revoltar, mas o mais incrível foi ele querendo promover uma rebelião na escola, onde eu quase berrei, principalmente com ele culpando a MTV.  Toda essa rebeldia deixou todos da sua casa revoltada, seus irmãos pela escola saber de certas coisas e seus pais (sua mãe na verdade) sobre o seu futuro, ainda mais com ele querendo desistir da ciência.

Sua mãe então decidiu levar ele a terapia (inclusive o psicólogo deveria aparecer mais vezes) e foi genial o diálogo e a comparação do profissional que queria ser patinador e virou psicólogo, Sheldon louco do jeito que é cismou que viraria ator KKKKK, eu berrei. Sua avó foi a mais animada da história, ainda mais que até ela já quis ser atriz (mais um ponto em que ela se parece com a Penny), mas o que mais curti foi o papo dela com a Missy, pois sempre rendem ótimos papos.

O Sheldon decidiu ir até a parte teatral da escola e pensei que ele seria motivo de chacota e não foi, então ele começou a estudar atuação e treinar com seus parentes, até chegar o grande dia da audição para a peça da escola e o Sheldon arrasou (palmas para o Iain), onde ele cantou, atuou, dançou e foi um gênio na audição, mesmo com a produção colocando ele para cantar “Dont cry for my Argentina” na década de 1980. Sheldon depois desse arraso conseguiu o papel principal, mas era uma personagem feminina.

Essa personagem feminina poderia me fazer vários textões no facebook, mas amei a mente do Sheldon em lidar com o preconceito (na mente dele proteção) em um homem interpretar uma mulher, mas dava para ver seu preconceito, quando seu questionamento foi a roupa que ele usaria, tanto que no carro no caminho para o teatro ele queria sentar no fundo. O Sheldon estava lindo vestido de Annie e queria muito ver sua atuação, mas claro que deu errado quando ele soube da lotação no teatro e quem atuou em seu lugar foi o seu professor, que hinoo, mas queria muito ele arrasando, cantando e dançando, coisas que hoje em dia ele não faz nem por reza brava.

Talvez tenha sido o episódio que melhor fluiu na minha mente, achei tão legal ver um lado diferente do Sheldon e que talvez um dia pode ser abordado em TBBT, mais um episódio em que o talento do Iain foi posto a prova e ele arrasou, fico pouco triste pelo pouco reconhecimento que tem as crianças em séries, mas esse menino é um monstro incrível e podem tacar coisas difíceis para ele fazer que arrasara.

Então é isso, um forte abraço e até mais.

gostou da matéria? deixe um comentário!

Autor

Phelipe

Um cara Fitness, gosta de esportes e um escorpiano nato, apaixonado pela vida. Um "nerd" que curte balada e um baladeiro que curte coisas "nerds", porque a vida é muito curta para se apegar em coisas pequenas, logo pode observar que sou uma pessoa muito eclética em todos os sentidos da vida.

Tema por Gabriela Gomes Todos os direitos reservados ao Panela de Séries